O que a digital influencer Mari Maria, as atrizes Marina Ruy Barbosa e Emma Watson e a mais nova Duquesa de Sussex e esposa do príncipe Harry, Meghan Markle, têm em comum? Além de lindas, ambas nasceram com sardas, característica que foi tendência de beauté nos desfiles internacionais do verão 2015. Em seu casamento, a duquesa optou por uma maquiagem leve, deixando suas sardas aparentes e já declarou em entrevistas ser fã de um visual clean e mais simples.  Assumir esse charme não é um problema, mas é importante saber como cuidar e conviver com essas manchinhas para evitar possíveis problemas na pele.

“As sardas, também denominadas efélides, são manchas acastanhadas e puntiformes que aparecem mais na face, principalmente nas bochechas e dorso do nariz. Elas podem surgir por predisposição genética, principalmente em pessoas ruivas e de pele clara, ou pelo excesso de exposição ao sol. Embora sejam benignas, é recomendável que pessoas com muitas sardas procurem um dermatologista para avaliação clínica e detecção de possíveis outras manchas”, esclarece Tathya Taranto.

Outro ponto que a médica destaca é que, sem as devidas precauções, sua quantidade pode aumentar, ou então escurecer demais, tornando-se um incômodo para algumas pessoas. Por isso é necessário usar diariamente protetor solar e evitar excessiva exposição ao sol, podendo aliar a esses cuidados tratamentos que ajudam na despigmentação das manchas. “O tratamento pode envolver cremes clareadores, peelings e lasers, como o Spectra, que pode ser feito em qualquer estação do ano tem o objetivo de atenuar essas manchinhas”, ilustra a dermatologista.

O Spectra é uma plataforma versátil que além de tratar lesões pigmentadas, como as sardas, melasma e melanoses, estimula o rejuvenescimento e remove tatuagens. “O procedimento atinge as camadas mais superficiais da pele, atuando diretamente nas células que produzem o pigmento escuro que provoca as manchas acastanhadas. Os melanócitos atingidos pelo laser são fragmentados e vão sendo reabsorvidos pelo organismo, ocasionando um clareamento gradual das áreas pigmentadas, como as sardas”, afirma Tathya Taranto.

Comentários: