O que é?

A hiperidrose é uma doença que afeta as glândulas sudoríparas e leva o paciente à uma condição de suor excessivo que causa desconforto físico e emocional. Em alguns casos a hiperidrose (suor excessivo) pode ocorrer mesmo em temperaturas baixas ou repouso.
O suor é uma condição física essencial para os seres humanos, pois ajuda a controlar a temperatura do corpo que deve estar sempre em torno de 36,5 graus. Porém pacientes com hiperidrose possuem glândulas sudoríparas superativas, que geram suor mesmo quando não é necessário.
Quando esse suor excessivo afeta as mãos, pés e axilas, é denominada hiperidrose focal ou primária. Se ela ocorre em todo o corpo, geralmente por consequência de outra condição médica, como alguns tipos de câncer, pressão alta ou doença pulmonar, é denominada hiperidrose secundária.
Estima-se que 40% das pessoas que sofram de hiperidrose primária nem mesmo procuram o médico. E como não há outros sintomas além do suor em regiões específicas, muitas vezes as causas são atribuídas à razões genéticas.

Causas

As causas da hiperidrose ainda são um pouco desconhecidas pela ciência, mas acredita-se que a ocorrência da doença esteja ligada a fatores emocionais, hereditários ou em decorrência de outras doenças.
Porém sabe-se que o suor excessivo é causado pela superatividade das glândulas sudoríparas, que naturalmente geram suor e controlam a temperatura do corpo.

Sintomas e Tratamentos

O único sintoma da hiperidrose é a produção de suor excessiva, sendo:
● Mãos, pés e axilas: hiperidrose primária ou focal.
● Corpo inteiro: hiperidrose secundária (geralmente consequência de outras doenças)

O tratamento mais apropriado será indicado pelo médico de acordo com a gravidade da doença, e ele pode ser tópico, sistêmico ou mesmo cirúrgico, através da remoção das glândulas sudoríparas ou cadeia simpática, a depender da causa e gravidade do quadro.
A aplicação de toxina botulínica também tem apresentado excelentes resultados no controle do suor excessivo.

Comentários: