Resultado do procedimento será bem-sucedido, se paciente seguir as orientações do médico especialista

Ela se popularizou, revolucionou a dermatologia estética, deu uma injeção de autoestima em milhares de pessoas e impressiona pela eficácia e versatilidade, visto que é indicada até para tratamento bruxismo, suor excessivo e enxaqueca, a toxina botulínica chegou ao mercado há 26 anos e conquistou a todos. Dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (International Society Of Aesthetic Plastic Surgery) indicam que ela continua sendo a queridinha entre os tratamentos: foi o procedimento mais realizado ao redor do mundo entre homens e mulheres, em 2015, com mais de 4,6 milhões de aplicações feitas.

De acordo com a dermatologista Tathya Taranto, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), a toxina botulínica A é indicada para o tratamento de rugas de expressão, aquelas ocasionadas pela contração muscular. “Ela impede que as linhas de expressão marquem permanentemente a pele. Assim, reduz ou elimina temporariamente a contração muscular e, consequentemente, as rugas por eles formadas, como os “pés de galinha”, rugas de bravo, que surgem entre as sobrancelhas, e aquelas ruguinhas que aparecem na testa e no nariz”, explica. A aplicação direta da substância no músculo responsável pela formação da ruga ocasiona relaxamento temporário e confere ao rosto uma aparência mais suave, rejuvenescida e agradável. Desta forma, além de tratar as rugas dinâmicas existentes, ainda previne a formação de novas mediante a reeducação da mímica facial.

Ao contrário do que o senso comum pensa, sua aplicação não é tão simples assim. “Primeiramente, ela só pode ser feita por um médico especialista, que precisa conhecer, e muito, a anatomia da face, entender a dinâmica muscular e dominar a técnica para garantir um resultado natural”, esclarece Tathya Taranto. Por isso, ela salienta a importância de ter senso estético e utilizar produtos qualificados e na diluição certa.  “Se a aplicação é feita por um profissional sem qualificação, o paciente corre o risco de apresentar um resultado inestético e de menor duração”, elucida a médica.

Além disso, embora seja um procedimento seguro e bem-sucedido, desde que feito por um especialista habilitado, algumas pessoas desconhecem os cuidados que devem ser tomados após a aplicação para garantir o resultado desejado. “Não se deve deitar nas primeiras quatro a seis horas após a aplicação e nem manipular ou massagear o local nesse período e, durante as 48 horas seguintes, o paciente não pode praticar atividades físicas e nem ficar em contato direto com o calor, como saunas e fogão”, descreve a médica. Isso porque se as orientações não forem seguidas à risca, pode ocorrer a migração do produto para músculos vizinhos ou o organismo reabsorver a substância e perder seu efeito.

“Caso o paciente esteja usando aspirina ou medicamento similar, pode surgir hematoma após a aplicação. Por isso é importante relatar ao médico sobre o uso de qualquer medicação antes da sua realização. O segredo para a eficácia da toxina botulínica é uma boa conversa com o médico antes da realização do procedimento, para tirar todas as dúvidas, e seguir todas as recomendações do profissional. Outra dica que dou é sempre desconfiar de preços muito baixos, pois o risco de utilizar um produto que não seja certificado pela Anvisa é alto”, afirma Tathya Taranto.

Comentários: