O que é?

Xantelasma consiste num distúrbio metabólico que se caracteriza pelo aparecimento de “bolsas” de coloração amarelada, levemente salientes nas regiões das pálpebras.
Apesar de não possuir sintomas graves, o xantelasma pode causar transtornos estéticos devido seu aspecto amarelado e saliente ao redor dos olhos. Em alguns casos também pode atrapalhar a visão, uma vez que surgem na maioria dos casos nas regiões da pálpebra.

Causas

O que causa o xantelasma é um distúrbio no metabolismo das gorduras, causando depósitos dessa substância em certas regiões do corpo. Por isso, as bolsas que se formam na região das pálpebras são constituídas em grande parte por colesterol e lipídios (gorduras).
Essa alteração no metabolismo das gorduras podem ser desenvolver associados a doenças genéticas ou secundário a doenças sistêmicas como o hipotireoidismo, diabetes, pancreatite, cirrose ou uso de certos medicamentos.
Níveis altos de colesterol estão presentes em quase metade dos casos de xantelasma, uma vez que toda a gordura excedente (que não consegue ser metabolizada pelo metabolismo) acaba se acumulando na superfície da pele. Nos outros 50% dos pacientes, o lipidograma se encontra sem alterações.

Sintomas e Tratamentos

O xantelasma são lesões planas ou salientes que podem chegar a 7 cm de diâmetro, amareladas e de consistência mais firme do que a pele normal.
Essas lesões não causam dor ou coceira, se limitando apenas aos aspectos estéticos.
O acúmulo de gordura pode aparecer em qualquer parte do corpo, mas as regiões mais comuns (depois das pálpebras) são os cotovelos, joelhos, nádegas, pés, mãos, tendões e articulações.
Somente um dermatologista pode diagnosticar essa condição, e tudo é feito através de um exame clínico simples e visual e através do lipidograma. O intuito do tratamento é realizar a ressecção das lesões e pode ser feito de diversas formas de acordo com as necessidades de cada paciente.
Tudo isso, é claro, é definido através de uma consulta com o dermatologista.

Comentários: