O inverno é a melhor época para fazer tratamentos estéticos que exigem pouca, ou nenhuma, exposição ao sol. Entre eles estão os procedimentos com ácidos que renovam e clareiam a pele, e se apresentam em forma de cremes e peelings químicos. Com as baixas temperaturas e a radiação solar menos intensa, é possível usá-los até mesmo em concentrações mais altas, já que seus ativos são potencialmente irritantes e deixam a pele sensível à luz.

Segundo a dermatologista Tathya Taranto, os ácidos possuem diferentes finalidades, mas todos têm em comum o poder de revigorar a tez. “Eles são muito versáteis e cada tipo é indicado para um tratamento específico, como manchas, melasma, linhas finas ou marcadas, acne, estrias, poros abertos, textura irregular e oleosidade. Além disso, seu uso pode ser associado a diferentes tipos de lasers, luz pulsada e outras tecnologias que podem potencializar sua ação”, afirma a médica. Eles conseguem chegar à camada mais profunda da pele e estimulam a produção de colágeno e fibras elásticas.

A especialista pondera que quase todas as pessoas podem ser submetidas a tratamentos com ácidos, exceto gestantes, quem tem infecção de pele, pacientes com doenças autoimunes ou alérgicos às substâncias contidas neles, por isso ela salienta que é essencial passar por uma avaliação médica. “O dermatologista saberá identificar as necessidades do paciente, indicar a dosagem e a melhor maneira de utilizar o ácido”, diz. Definida a intervenção é bom lembrar que são comuns reações como descamação, ardência, aspereza e vermelhidão. “Independente do dia estar ou não nublado, o uso do filtro solar, com FPS mínimo de 30, é imprescindível e deve ser reaplicado a cada duas horas. Quanto ao ressecamento e ardência, a agua termal ajuda a aliviar esses sintomas”, esclarece.

 

Para quem quer conhecer mais desses aliados da beleza, Tathya Taranto elencou os principais:

Ácido ascórbico: Nome químico da Vitamina C, diferente do ácido hialurônico, não existe naturalmente em nossa pele. Mas sua versão sintética, isto é, produzida em laboratório, é utilizada para prevenir o fotoenvelhecimento e estimular a produção de colágeno. Tem ação antioxidante, combatendo os radicais livres e assim prevenindo e retardando o envelhecimento. Outra função dele é estimular a produção de colágeno da pele, reduzindo a flacidez. Além disso, ele atua nos melanócitos, células produtoras da  melanina, uniformizando a cor da pele.

Ácido ferúlico: É encontrado nas folhas e sementes de muitas plantas, especialmente farelo de milho e arroz, em todas as partes do trigo e aveia. Também pode ser encontrado nas plantas como o café, maçã, alcachofra, amendoim, laranja e abacaxi. Ele fornece hidrogênio para a neutralização dos radicais livres, compostos estes relacionados com o envelhecimento das células, portanto é um potente antioxidante. Outros estudos indicaram os derivados do ácido ferúlico como inibidor no processo de geração de melanina. Também ajuda a prevenir o dano de nossas células causadas pela radiação UV, sendo adicionado como ingrediente anti-idade.

Ácido salicílico: É um beta-hidroxiácido que com propriedades queratolíticas antimicrobianas, o que promove um afinamento da camada mais superficial da pele. O intuito é afinar e descamar a pele através dos seus ativos esfoliantes, facilitando a renovação celular, sendo que as células novas são produzidas na epiderme e aguardam as células mortas desgarrarem da superfície. Ele combate rugas finas e envelhecimento cutâneo. O ácido salicílico faz parte da composição de uma gama de produtos para peles acnéicas porque possui ativos antimicrobianos e antifúngicos que tratam a contaminação. Contudo, ele também é utilizado para o tratamento de outras imperfeições, como, caspa e dermatite seborréica. O seu uso mais comum é de fato para o rosto.

Ácido hialurônico: Substância naturalmente presente no organismo humano, uma molécula de açúcar que atrai a água e pode atuar como um lubrificante e absorver choques em partes móveis do corpo como as articulações. Do ácido hialurônico no nosso corpo, 56% dele estão na pele, preenchendo o espaço entre as células, o que a mantém lisa, elástica e bem hidratada. Porém, com o tempo, sua concentração na pele diminui, o que causa o aparecimento de rugas e também seu ressecamento. O ácido hialurônico é indicado principalmente para melhorar o viço da pele, suavizando rugas e outras marcas da idade.

Comentários: