Duas das principais queixas em consultórios dermatológicos, as rugas e linhas de expressão são consequência do processo natural de envelhecimento da pele. Esses sinais incomodam homens e mulheres, mas a boa notícia é que atualmente existem métodos menos invasivos que retardam o processo, sem que seja preciso recorrer a intervenções cirúrgicas que exigem mais tempo de recuperação e cuidados redobrados.

De acordo com a dermatologista Tathya Taranto, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), os primeiros sinais do envelhecimento surgem por volta dos 25, 30 anos. “A partir dos 30 anos ocorre uma perda anual de 1% de colágeno ao ano, o que torna a pele flácida e com rugas. Além da perda de colágeno, gordura e volume, intercorre uma hipertrofia de músculos, principalmente nas áreas de expressão, e uma flacidez muscular no terço médio e inferior da face”, explica a médica que salienta a importância de trabalhar a prevenção.

A dermatologista esclarece que tratamentos feitos em consultório dermatológico, como injeção de ácido hialurônico, toxina botulínica, uso de laser, microagulhamento, ultrassom microfocado e radiofrequência são alternativas preventivas que entregam um resultado natural e uma aparência mais jovial. “O MD Codes, por exemplo, consegue mapear com exatidão pontos específicos da face que são preenchidos com ácido hialurônico. O resultado é uma aparência mais harmônica e jovial, sem perder a naturalidade, com efeito lifting, porém sem os riscos de uma cirurgia. A abordagem trata e ao mesmo tempo previne o envelhecimento, sendo possível reestruturar e devolver projeção a áreas como bochechas, osso zigomático e queixo, e suavizar olheiras, linhas de marionete e bigode chinês”, afirma Taranto.

Outro método preventivo é o botox, que impede que as linhas de expressão marquem permanentemente a pele. “Ele reduz ou elimina temporariamente as rugas de expressão, como os “pés de galinha”, as rugas de bravo, que surgem entre as sobrancelhas e aquelas ruguinhas que aparecem na testa”, diz a especialista. Já o laser, microagulhamento, ultrassom microfocado e radiofrequência são tecnologias que estimulam colágeno dérmico e, algumas vezes, até muscular, para devolver sustentação e firmeza à pele. “Algumas tecnologias ajudam na melhora de textura e qualidade da pele, uniformização do seu tom e atenuação das rugas finas”, declara a médica.

Comentários: